Juiz suspende decisão que tornou Serra réu por lavagem de dinheiro nas obras do Rodoanel

Juiz suspende decisão que tornou Serra réu por lavagem de dinheiro nas obras do Rodoanel
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O juiz Diego Moreira, da 6ª Vara Federal Criminal de São Paulo, suspendeu sua decisão que tornou o senador José Serra e filha dele, Verônica, réus por lavagem de dinheiro. Em despacho de hoje, o magistrado justificou que, “por cautela”, vai seguir decisão de ontem do ministro Dias Toffoli, que travou os inquéritos que correm contra o senador em primeira instância.

Na decisão de hoje, o juiz disse que, embora Toffoli não tenha deixado claro se sua decisão sobre o caso atingia a ação penal ou não, “por cautela entendo que a presente ação penal deve ser suspensa até nova ordem do Supremo Tribunal Federal”.

Ontem, Toffoli suspendeu as investigações que corriam contra Serra na Justiça Federal de São Paulo. Atendendo a pedido da defesa do senador, o ministro disse que os mandados de busca e apreensão determinados pelo juiz federais eram amplos demais e poderiam afetar o exercício do mandato pelo senador – e só o Supremo pode determinar medidas do tipo.

A decisão que tornou Serra e a filha réus também foi tomada ontem, mas depois da decisão de Toffoli. Como o juiz não tinha sido intimado da liminar do presidente do STF, recebeu a denúncia. Hoje, depois de intimado, voltou atrás e suspendeu a decisão.

A decisão de Toffoli foi tomada antes do recebimento da denúncia, por isso o ministro só se refere ao inquérito. E por isso o juiz diz que Toffoli não fez menção à ação penal, já que inquéritos só viram ações penais depois do recebimento da denúncia pela Justiça.

Serra e a filha são acusados de lavagem de dinheiro de um esquema de corrupção para favorecer a Odebrecht nas obras do Rodoanel. Segundo as investigações da Lava Jato, o senador, que na época dos fatos era governador de São Paulo, recebeu R$ 4,5 milhões da empreiteira em contas na Suíça operadas por sua filha.

Leia mais: Foro privilegiado: o STF dividido de novo
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 41 comentários
TOPO