Juíza acolhe pedido de Carla Zambelli e suspende buffet de luxo do STF

A juíza Solange Salgado, de Brasília, suspendeu a contratação de um buffet de luxo pelo Supremo orçado em R$ 481,7 mil, em ação movida pela deputada Carla Zambelli (PSL-SP).

Ela considerou o gasto desproporcional e com potencial de ferir a moralidade administrativa. O edital da licitação previa gastos de até R$ 1,1 milhão pelo serviço, que incluía pratos finos e bebidas como uísque, gin, vodca e vinhos premiados.

“O objeto do pregão em análise se aparta da finalidade para a qual o Supremo Tribunal Federal foi criado, pois a contratação do serviço de fornecimento de refeições visa atender a uma atividade-meio — que, portanto, deve existir tão somente no limite do indispensável para a efetiva realização da atividade-fim”, escreveu a juíza na decisão.

“Os itens exigidos destoam sobremaneira da realidade socioeconômico brasileira, configurando um desprestígio ao cidadão brasileiro que arduamente recolhe seus impostos para manter a máquina pública funcionando a seu benefício”, diz outro trecho da sentença.

O STF informou que vai recorrer da decisão por meio da Advocacia Geral da União.

Comentários

  • Francisco -

    Vergonhoso , esta atitude dos que se acham " Supremos " mostra nitidamente o estado de putrefação que se encontram !

  • Zelia -

    Eles podem beber bebida alcoólica durante as refeições, em horário de expediente? Ah! Agora entendi, porque não entendo, certos comportamentos dúbios. É.Você pensa que uísque é água?

  • Luiz -

    O problema é que eles "criaram a Guarda Nacional"notem bem, não é exército essa guarda, e sim uma "guarda vermelha"para protegê-los

Ler 415 comentários