Juíza decreta sigilo em ação que bloqueou bens de Alckmin

Juíza decreta sigilo em ação que bloqueou bens de Alckmin
Foto: Adriano Machado

A juíza Luiza Barros Verotti, da 13ª Vara da Fazenda Pública de São Paulo, decretou sigilo na ação de enriquecimento ilícito que bloqueou os bens de Geraldo Alckmin por suposto caixa dois da Odebrecht na campanha de 2014.

A ação foi proposta pelo MP de São Paulo em setembro de 2018, quando o tucano havia deixado o governo do estado para disputar a Presidência.

No ano seguinte, a Justiça paulista acolheu o pedido do promotor Ricardo Castro e bloqueou os bens de Alckmin.

Segundo o TJ-SP, a decretação de segredo de Justiça na ação contra o ex-governador tucano ocorreu devido à juntada de documentos do STF “dados como sigilosos”.

LEIA AQUI a íntegra da reportagem de Fabio Leite na Crusoé; assine a revista e apoie o jornalismo independente.

Leia mais: Crusoé, a publicação que fiscaliza TODOS os poderes da República.
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 12 comentários
TOPO