Juízes de Goiás destacam ‘correta conduta’ de Moro

A Associação dos Magistrados de Goiás divulgou nota em defesa de Sergio Moro e Carlos Thompson Flores:

“A Associação dos Magistrados do Estado de Goiás (Asmego) manifesta-se contrária ao impasse jurídico em relação ao habeas corpus do ex-presidente Lula. Durante mais de dez horas, a população brasileira viveu ontem momento de insegurança jurídica, o que questiona a autonomia do Judiciário e acarreta sérios problemas à sociedade, que espera na instituição decisões claras e que assegurem estabilidade.

A Asmego exalta, entretanto, a rápida decisão do presidente do TRF4, desembargador Carlos Eduardo Thompson Flores, que fixou a competência do relator desembargador João Pedro Gebran Neto. A associação também ressalta a correta conduta do juiz Sergio Fernando Moro, que contestou a competência jurídica da liminar do magistrado de plantão.

A associação externa repúdio a influências de ideologia político-partidária nas decisões judiciais, e ressalta que a magistratura de carreira, em regra, se distancia dessa influência, exatamente em razão da forma de ingresso. É imprescindível que o Judiciário brasileiro mantenha-se cada dia mais comprometido com a verdade e com a hierarquia, com decisões claras, pautadas na honestidade e na lisura do exercício do poder jurisdicional.”

Comentários temporariamente fechados.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

  1. “(…) É imprescindível que o Judiciário brasileiro mantenha-se cada dia mais comprometido com a verdade e com a hierarquia, com decisões claras, pautadas na honestidade e na lisura do exercício do poder jurisdicional”. (Associação dos Magistrados do estado de Goiás/ASMEGO)

Ler mais 29 comentários
  1. “(…) É imprescindível que o Judiciário brasileiro mantenha-se cada dia mais comprometido com a verdade e com a hierarquia, com decisões claras, pautadas na honestidade e na lisura do exercício do poder jurisdicional”. (Associação dos Magistrados do estado de Goiás/ASMEGO)

  2. “A associação externa repúdio a influências de ideologia político-partidária nas decisões judiciais, e ressalta que a magistratura de carreira, em regra, se distancia dessa influência, exatamente em razão da forma de ingresso.” JÁ QUE É ASSIM, POR QUÊ NÃO APOIAM UMA REFORMA NO JUDICIÁRIO?

  3. Por que ele declinou do processo de Beto Richa, alegando excesso de serviço e, mesmo em férias quis atuar para não liberar Lula? Isso é? Uma balinha jujuba para quem responder .

    1. Na tentativa d golpe do Favrero/Damus, eles incorreram no erro d citar Moro como coator, o q obrigou o juiz, assim sendo provocado, a se manifestar sobre aquele descalabro jurídico. D tão incompetentes, trouxeram Moro p o centro do palco daquela patuscada.

  4. “…exatamente em razão da forma de ingresso.” Pois é, o desembargadorzinho do TRF4 que criou toda essa celeuma entrou pelo quinto constitucional, essa estrovenga inaceitável. Não é mais aceitável que advogados assumam postos em tribunais e fiquem criando insegurança jurídica a torto e a direito.

  5. Creio que é uma questao de ,limpar o nome dos promotores e desembargadores , Rogerio Favreto que tentou soltar Lula , tem que ser Punido , ele desonrou e pisou em seu colegas ,alem da falta de respeito coo o Colegiado e com o STF …….bom esperar o que de PETISTAS.

  6. Quanto dinheiro investido; agentes empenhados por messes, anos, investigando; dias e horas de julgamentos em colegiados de multiplas instancias, para numa canetada de um ativista, ser tudo lançado no lixo, por simples paixão fisiológica, Socorro FFAA!

  7. “se distancia dessa influência, exatamente em razão da forma de ingresso.”
    Exatamente : é fundamental fechar essa janela de ingresso espúrio de capachos políticos na Justiça.
    Fim do Quinto Constitucional JÁ !!!!!

  8. Esse sujeito Favreto se tornou desembargador pelo quinto da OAB, justamente por intermédio de Damous, e sem sequer ter 10 anos de advocacia. Lembra um tal supremo que continua advogando pelos seus chefes Zé Dirceu e Lula, sem sequer ter conseguido passar em concurso para juiz.

  9. É preciso entrar com uma pec contra o quinto constitucional. Essa jabuticaba que permite uma espécie de “bolsa adêvogado” para ingressar nos trfs e tribunais superiores.