Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Juízes do RS negociam compra de vacina

Juízes do RS negociam compra de vacina
Foto: MiamiAccidentLawyer/Pixabay

Juízes federais do Rio Grande do Sul negociam a compra de vacinas Covaxin de um lote de 5 milhões da fabricante indiana Bharat Biotech.

Segundo o Valor, a Ajufergs (que representa 185 magistrados) está fazendo reservas, mediante o pagamento antecipado de 50% do valor – R$ 800 por duas doses. Cada juiz poderá indicar até oito dependentes.

“A vacina para os juízes está sendo paga com recursos da entidade, não envolve dinheiro público”, justifica Rafael Martins Costa Moreira, presidente da entidade.

O procedimento, claro, é ilegal. A Anvisa proíbe a negociação pelo setor privado de vacinas autorizadas apenas para uso emergencial. A Covaxin ainda está na fase 3 de estudos clínicos na Índia.

O Ministério da Saúde centraliza o processo de imunização e toda vacina disponível no mercado deveria, em tese, ser priorizada ao SUS.

Ontem, Elcio Franco, número dois da pasta, acusou de estelionatários empresários que estavam negociando a venda de 33 milhões de doses da vacina da AstraZeneca com empresas de São Paulo.

Em nota a O Antagonista, a Precisa Medicamentos, representante da Bharat, afirmou desconhecer “qualquer negociação com a Associação dos Juízes Federais do Rio Grande do Sul”.

“Os procedimentos para o registro estão sendo adotados de acordo com as normas. O fornecimento de vacinas para o mercado privado seguirá rigorosamente o que for determinado pelas autoridades brasileiras.”

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO