ACESSE

Juízes trabalhistas reagem

Telegram

A Anamatra, maior associação dos juízes trabalhistas, reagiu à pretensão de Jair Bolsonaro de acabar com a Justiça do Trabalho.

Em nota, a entidade disse que se o objetivo é reduzir a quantidade de ações e os custos que acarretam ao empregador, o caminho é mudar as leis e não extinguir um ramo do Judiciário.

Se os processos fossem transferidos para a Justiça Comum, como quer o presidente, “a litigiosidade trabalhista continuará rigorosamente a mesma, sob o manto da mesma legislação trabalhista e com os mesmos obstáculos no campo econômico”, argumenta a associação.

“Qualquer iniciativa tendente a alterar a estrutura constitucional do Poder Judiciário brasileiro compete originária e privativamente ao Supremo Tribunal Federal, excluídos os demais poderes da República”, completa a nota.

Pesquisa exclusiva: o que os brasileiros querem de Bolsonaro? LEIA AQUI

Comentários

  • Antonio -

    Já devia estar extinto, certamente que não faz falta; nunca ajudou....

  • Beth -

    Outra orcrim?

  • Fernando -

    Fim dessa joça, chega de gastança do nosso dinheiro, isso é choro de quem não tem argumento.

Ler 212 comentários