Julgamento de Witzel será técnico e não político, diz presidente do tribunal

O presidente do Tribunal de Justiça do Rio, Cláudio de Mello Tavares, que também preside o tribunal misto do impeachment de Wilson Witzel, disse que o julgamento final do governador será técnico e não político.

“Vai ser técnico, não tenho dúvida disso. É uma segunda fase [do processo], tanto que estamos realizando julgamento no Tribunal de Justiça. Mas alguém pode dizer: ‘Mas eles [deputados do tribunal] são políticos’. Mas têm assessores jurídicos. O julgamento será técnico, não posso cogitar isso [que seja político]. O governador terá amplo direito de defesa. Confio nos deputados e desembargadores e tenha certeza que vamos fazer justiça”, disse à CNN.

O tribunal misto é composto por cinco desembargadores e cinco deputados estaduais. Em caso de empate em qualquer fase do processo, o voto de desempate é de Cláudio de Melo Tavares.

Desde ontem, começou a contar o prazo de 15 dias para Witzel apresentar resposta à acusação. Em seguida, o relator, Waldeck Carneiro (PT), terá 10 dias para compor um relatório. Depois, o tribunal misto vai marcar, em até 48 horas, o julgamento que poderá receber ou rejeitar a acusação.

Se for aceita, o afastamento de Witzel será renovado, por mais 180 dias. Nesse caso, o governador terá mais 20 dias para apresentar sua defesa final, podendo chamar testemunhas e depor durante esse período para tentar a absolvição. Só depois, o julgamento final é realizado.

Leia mais: Como a escolha do novo ministro do STF pode mudar -- para pior -- as coisas em Brasília
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 8 comentários
TOPO