Jungmann responde a desembargador citando as fontes de seus dados

Raul Jungmann criticou o que chamou de “senso comum brasileiro” de que prender bandido resolve o problema da segurança pública. O desembargador Edison Aparecido Brandão, do Tribunal de Justiça de São Paulo, como registramos, o chamou de desinformado ao tratar do número de presidiários no país.

Jungmann respondeu da seguinte forma:

“Senhor desembargador, abro minhas fontes sobre a população carcerária no Brasil. Elas são duas: o Departamento Penitenciário Nacional, que registra 726 mil apenados para 368 mil vagas; e o Conselho Nacional de Justiça, que registra 602 mil apenados (sem contar São Paulo e Rio Grande do Sul, números ainda não fechados).

Que o ‘informado’ senhor desembargador abra as suas fontes ou revele sua ignorância travestida de pretenso conhecimento…”

2019 não será um ano para amadores. Conte com a ajuda de especialistas para chegar são e salvo a 2020 AQUI

Comentários temporariamente fechados.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

  1. Esse Jungmann é um sabujo do quilate do Marun, mas por algum motivo que me escapa é tratado pela imprensa como se fosse alguém sério.

Ler mais 6 comentários
  1. Esse Jungmann é um sabujo do quilate do Marun, mas por algum motivo que me escapa é tratado pela imprensa como se fosse alguém sério.

  2. Se for primário, só fica preso se for reincidente mesmo. Responde ao processo solto. Se condenado pode prestar serviço, e se cumprir acabou. Fica apenas o reg. antecedente. A pena é de 1 a 4 anos.

Os comentários para essa notícia foram encerrados.