ACESSE

Justiça bloqueia R$ 1,7 milhão do deputado Paulinho da Força

Telegram

A Justiça Eleitoral de São Paulo mandou bloquear R$ 1,7 milhão das contas do deputado Paulinho da Força (Solidariedade-SP). Ele é alvo da Operação Dark Side, desdobramento da Lava Jato deflagrado hoje em São Paulo.

O tesoureiro do Solidariedade, José Gaspar Ferraz de Campos, teve R$ 1,4 milhão bloqueados pela decisão.

Segundo o juiz Marco Antonio Martins Vargas, da 1ª Zona Eleitoral, há “fortes indícios” de que os valores tenham sido recebidos como doação eleitoral, mas não foram declarados ao TSE, o que configuraria crime de caixa dois eleitoral.

Na decisão, a que O Antagonista teve acesso, o juiz disse que “a prática conhecida como ‘caixa dois eleitoral’ permite o abuso do poder econômico pelo candidato que a pratica e, notadamente, impede o equilibro do pleito em relação aos demais candidatos, circunstância que se mostra imprescindível a efetivação do sistema democrático”.

Segundo as investigações, capitaneadas pelo Ministério Público Eleitoral, o dinheiro foi doado pela JBS às campanhas de 2010 e 2012 do deputado, mas nunca foram declarados ao TSE. Paulinho da Força e o tesoureiro do partido são acusados de lavagem de dinheiro e caixa dois eleitoral.

Leia mais: Comprovação do elo entre a Presidência da República e o gabinete do ódio complica Bolsonaro. Clique e leia

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 18 comentários