Justiça bloqueia R$ 420 milhões de ex-auditor da Receita investigado por lavagem

A Justiça Federal em São Paulo autorizou a deflagração da Operação Coletor, que investiga um ex-auditor fiscal da Receita Federal por lavagem de dinheiro, sonegação fiscal e improbidade administrativa. A investigação é tocada pela Receita e pela Polícia Federal.

A juíza Fabiana Alves Rodrigues, da 10ª Vara Federal Criminal em São Paulo, mandou bloquear R$ 421,1 milhões do ex-auditor, que seria equivalente ao patrimônio acumulado com as atividades ilegais.

A magistrada também expediu 13 mandados de busca e apreensão em endereços de empresas e residências de pessoas ligadas ao esquema criminoso nas cidades de São Paulo, Sorocaba, Araçoiaba da Serra, Ibiúna e Guarujá.

As investigações foram iniciadas pela Receita em 2015 e descobriu um esquema de sonegação fiscal por meio da omissão da origem do dinheiro e de um “sofisticado esquema de lavagem de dinheiro”. Segundo os fiscais da Receita, o ex-auditor teria aberto 52 empresas, todas no ramo imobiliário, para simular que as quantias viriam de suas atividades no setor.

De acordo com a Receita, essas empresas repartiam entre elas o patrimônio do investigado e distribuída a diversos sócios como se fossem lucro. Parte do imposto era pago, segundo os auditores, com intuito de despistar a fiscalização tributária.

Leia mais: A Crusoé fiscaliza TODOS os poderes e, nesta semana, é a vez do Legislativo.
Mais notícias
TOPO