Justiça condena filho de Cabral por ‘carteiradas’

O juiz Ricardo Levy Martins, da 11.ª Vara Federal do Rio, condenou o deputado Marco Antônio Cabral a perda da função pública, proibição de contratar com a administração pública por três anos e multa de R$ 337 mil, relata Fausto Macedo.

Marco Antônio, filho de Sérgio Cabral –preso e condenado a mais de 180 anos de prisão pela Lava Jato–, foi alvo de ação de improbidade administrativa movida pelo MPF no Rio.

Segundo a denúncia, Marco Antônio usou sua carteira de deputado federal por 23 vezes para entrar em Bangu 8, onde seu pai está, em dias e horários proibidos para visitação.

Em onze dessas visitas irregulares, diz o MPF, “o deputado [nem] sequer estava exercendo o mandato parlamentar, porque à época atuava como secretário estadual de Esporte e Lazer”.

O juiz acolheu a afirmação do MPF de que as visitas ao ex-governador “não tinham qualquer relação com o exercício do mandato de deputado e que representaram grave violação às regras de visitação das unidades prisionais do Estado do Rio”.

A defesa de Marco Antônio nega que ele tenha cometido ato de improbidade e diz que vai “ingressar com uma ação contra o MPF pela divulgação extraoficial de um ato que não é do Ministério Público”.

Você está preparado para lidar com a eventual volta do PT ao poder? Leia AQUI

Comentários temporariamente fechados.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Ler mais 30 comentários
  1. Esse moleque já dava carteirada nos inspetores do colégio onde estudava, porque queria fumar nas dependências e era proibido. Os padres acabaram permitindo a irregularidade, devido às ameaças del

    1. Deem uma olhadinha nos planos de “governo” que tem o Lula / Haddade(ou Andrade) youtube.com/watch?v=C8xou5YIPrY (por isso querem soltar o “ilustre” preso).