ACESSE

Justiça determina retirada do ar dos dados de menina estuprada divulgados por Sara Winter

Telegram

Google, Facebook e Twitter têm 24 horas para retirar do ar os dados pessoais da menina de 10 anos que foi estuprada por um tio, sob risco de multa diária de R$ 50 mil em caso de descumprimento da ordem.

Os dados foram divulgados pela militante bolsonarista Sara Winter.

A Defensoria Pública do Espírito Santo conseguiu uma liminar.

“Os dados divulgados causaram ainda mais constrangimento à menina e aos seus familiares”, disse a Defensoria, em nota.

Ontem, como noticiamos, Sara Winter divulgou em suas redes sociais o nome da menina que engravidou após ser estuprada pelo tio e o endereço do hospital onde a criança estava internada para a realização do aborto.

Leia mais: Comprovação do elo entre a Presidência da República e o gabinete do ódio complica Bolsonaro. Clique e leia

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos

Os comentários estão desabilitados