ACESSE

Justiça do DF condena Geddel Vieira Lima por improbidade administrativa

Telegram

A Justiça do Distrito Federal condenou o ex-ministro Geddel Vieira Lima por improbidade administrativa. O emedebista fica com os direitos políticos suspensos por cinco anos e proibido de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais.

Em 2016, o então ministro da Cultura e atual deputado, Marcelo Calero, acusou Geddel de pressioná-lo a liberar uma obra em Salvador (BA) embargada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), órgão vinculado ao Ministério da Cultura. Calero pediu demissão, e a polêmica em torno do assunto também levou Geddel a deixar o cargo.

“No caso, ficou evidenciado, de forma cristalina, que o acusado GEDDEL QUADROS VIEIRA LIMA utilizou-se da influência política de seu cargo para tentar influenciar o então Ministro da Cultura MARCELO CALERO a proferir decisão favorável à construção do Edifício La Vue, nos moldes do projeto original que estava sendo questionado, agindo, pois, no mínimo, com dolo genérico, que consiste na vontade de praticar ato que atente contra os princípios da Administração Pública, o qual é necessário e suficiente para sua condenação por ato de improbidade”, escreveu a juíza Diana Wanderlei, da 5ª Vara da Justiça Federal do Distrito Federal.

Leia também: Pandemia: como salvar vidas — e a economia.

Comentários

  • Isabel -

    Essa triste situação tem que servir para a população entender que corrupção não é uma abstração. Corrupção mata! Os outros. O repúdio à corrupção deve ser cultural.

  • Suely -

    Peguem o dinheiro dele e distribua com os ministérios da Saúde, Transporte e Segurança para ajudar no combate ao corona.

  • Eduardo -

    Espero o dia em que TODOS os que servem ao líder 38 cara de cartucho incluindo ele e seus filhos estejam na cadeia pagando por seus crimes.

Ler 8 comentários