Justiça proíbe ficha-suja de usar fundo eleitoral

Telegram

Em decisão inédita no país, o Tribunal Regional Eleitoral do Pará proibiu um candidato condenado em segunda instância a usar recursos do fundo eleitoral e reforçou sua inelegibilidade.

O juiz federal Arthur Pinheiro Chaves determinou multa de R$ 10 mil por dia em caso de desobediência à decisão por parte do candidato a deputado estadual Mauro Cezar Melo Ribeiro, do PRB.

O Ministério Público Eleitoral destacou que a inelegibilidade do candidato é “chapada”, por ele ter sido condenado em segunda instância pelo crime de usurpação de função pública.

Na liminar, o magistrado pontuou que a Lei da Ficha Limpa determina o prazo de oito anos de inelegibilidade para fichas-sujas após o cumprimento da pena e concluiu que Mauro Ribeiro está inelegível até 2024.

Comentários

  • Turiras -

    Nossos parabéns Dr. Arthur Pinheiro Chaves.Cumpriu com seu dever. Só esperamos que seus superiores aprendam a fazer o mesmo.

  • Carlos -

    Ei, TSE, vê se aprende !

  • Nanci -

    Oito anos após o cumprimento da pena? Oh Glória! Então lula, o chefe da quadrilha, cumpre pena até 2030 e só pode se candidatar em 2038? Tem que cumprir a Lei da Ficha Limpa!

Ler 12 comentários