ACESSE

Justiça proíbe governo de SP de monitorar celular de advogado

Telegram

O desembargador Evaristo dos Santos, do Tribunal de Justiça de SP, proibiu o governo do estado de São Paulo de monitorar o celular de um advogado.

Em 9 de abril, João Doria fechou um acordo com companhias telefônicas para monitorar o isolamento social com dados da movimentação de celulares.

Após o anúncio da medida, o advogado Caio Zacharias entrou com um mandado de segurança para impedir que seu celular fosse monitorado, argumentando “grave e iminente ameaça de invasão de privacidade”. No pedido, Zacharias comparou o monitoramento a uma tornozeleira eletrônica.

“Estão afrontados, em tese, o direito à intimidade e à privacidade – razoável identificar no conjunto de informações sobre a própria localização física do titular da conta, a serem obtidas de seu próprio celular, conjunto de dados pessoais a ter assegurada privacidade, protegida de acesso por terceiros, salvo lei autorizativa ou decisão judicial nesse sentido, hipóteses ausentes no caso dos autos, como decorre de decisão judicial semelhante apontada na inicial”, defendeu o desembargador.

Leia também:

​​​​​Ministra do STJ nega pedido para interromper monitoramento por celular em São Paulo

Foto: Adriano Machado/Crusoé

Leia também: Novo chefão na Saúde: o combate à pandemia vai mudar?

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 57 comentários