Justiça proíbe retorno às aulas na cidade do Rio

Justiça proíbe retorno às aulas na cidade do Rio

Uma nova decisão, do desembargador Peterson Barroso Simão, determinou a suspensão das aulas presenciais nas escolas privadas no município do Rio de Janeiro.

Ele disse que a decisão de ontem do desembargador do Trabalho Carlos Henrique Chernicharo, que libera o retorno no estado do Rio de Janeiro, não vale para a capital fluminense.

Simão impôs multa de R$ 10 mil a Marcelo Crivella se houver qualquer novo ato autorizando a reabertura das escolas.

“O retorno das aulas da rede privada em momento anterior ao da rede pública contribuirá para aumentar a desigualdade entre os estudantes que podem pagar pelo ensino e aqueles que dependem da escola pública, fato que violaria o princípio da isonomia”, afirmou na decisão.

“A segurança e preservação da vida e saúde dos alunos é a prioridade máxima e deve se sobrepor aos demais interesses. A prudência nesse momento tumultuado revela-se como sendo o melhor caminho a seguir”, escreveu, em outro trecho.

Leia mais: Sócios no desastre: a responsabilidade dos governadores na pandemia. Clique aqui para ler mais
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 16 comentários
TOPO