Justiça proíbe TV Record de fazer 'propaganda subliminar' para Crivella

Justiça proíbe TV Record de fazer propaganda subliminar para Crivella
Reprodução/TV Record

A Justiça Eleitoral proibiu a TV Record de fazer propaganda subliminar para Marcelo Crivella (Republicanos), sobrinho de Edir Macedo.

O Ministério Público Eleitoral mostrou que apresentadores da emissora estavam fazendo referência ao número 10, da campanha de Crivella, ao longo da programação. A emissora passou a divulgar um novo número de WhatsApp, de final 1010.

Alguns apresentadores, como Wagner Montes Filho, do Balanço Geral Manhã, apareciam em anúncios falando o número de celular e reforçando o final.

“Dez, dez! Não esqueçam: Dez, Dez!”, dizia o apresentador, com as palmas das mãos abertas.

Na decisão, a juíza eleitoral Luciana Mocco Moreira Lima escreveu: “A conduta dos apresentadores e da emissora caracterizavam propaganda subliminar com potencialidade de influir na disputa eleitoral em razão da repetição maciça, devendo reprimir-se o uso indevido dos meios de comunicação social”.

A informação é da Época.

Leia mais: O Centrão quer dominar sua cidade. Entenda como
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 26 comentários
TOPO