Kassio justifica decisão que liberou bufê com lagosta no Supremo

Kassio justifica decisão que liberou bufê com lagosta no Supremo
Foto: Reprodução/TV Senado

O desembargador Kassio Marques, indicado por Bolsonaro para o Supremo Tribunal Federal, defendeu sua decisão que liberou a contratação de bufê com lagostas e vinhos premiados pelo tribunal na sabatina na CCJ do Senado.

Segundo ele, “não era uma licitação ordinária”. Era a contratação de um cardápio para jantares e almoços nos casos em que o Supremo receba alguma autoridade internacional, como professores, membros de tribunais de outros países.

Ele respondeu ao senador Jorge Kajuru, que também o questionou se decidiria assim novamente.

Kassio disse: “Em novembro ou dezembro do ano passado, essa licitação foi apreciada pelo Tribunal de Contas da União, que a julgou como lícita. Com mais ainda esse elemento, não teria, de forma alguma, nenhum motivo para pensar de forma diferente”.

Leia mais: Em Brasília, plágio não impede ninguém de alçar grandes voos.
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 17 comentários
TOPO