Kibe e Dragão

A PF apreendeu, no Setor das Propinas da Odebrecht, duas planilhas relativas a pagamentos para a campanha de 2014. A primeira se chamava “operação Kibe”, e se referia à propina paga por meio de Adir Assad. A segunda era a “operação dragão”, a cargo de outro operador, cuja identidade era desconhecida até agora.

Hoje o dragão está sendo preso.