Lapso freudiano ou erro?

O Ministério da Justiça postou na sua página oficial do Facebook o seguinte texto:

“Os jihadistas, assim como qualquer outro povo de qualquer outra origem, vêm ao Brasil para trazer mais progresso ao nosso país e merecem respeito.”

Depois das reações negativas, segundo a Folha, “a resposta foi considerada ‘um erro absurdo’ pelo ministério”. Eis a retificação: “O Ministério da Justiça lamenta o erro cometido na resposta no qual confunde os jihadistas com um povo. O erro crasso foi corrigido”.

Como faltou condenar os jihadistas, O Antagonista acha que foi mais lapso freudiano do que erro do ministério.