Laranjal feminino do PSL

Telegram

O PSL de Pernambuco repassou 400 mil reais da cota feminina do fundo eleitoral a uma secretária do partido que recebeu 274 votos.

A Folha de S. Paulo descobriu que o dinheiro só foi pago em 3 de outubro – a campanha foi encerrada oficialmente no dia seguinte. A reportagem descobriu também que ela repassou 380 mil reais a uma gráfica fantasma.

Luciano Bivar explicou à repórter que a campanha da candidata não tinha importância, e sim a campanha do partido:

“É, tem o preenchimento de cotas, tem uma série de coisas. Tem que ir com vocação, pessoas que têm vocação. Tá certo? Veja bem, menina linda, eu quero que você filtre bem o que eu estou falando pra você. O partido precisa divulgar o nome dele. E tem aquela cota que é obrigado por lei. Então, tanto faz o nome dela, Maria de Lourdes no caso, né? Tanto faz se vai o nome dela ou o nome do PSL. Não é uma divulgação? O importante é você me dizer, essa gráfica existe ou não existe?”

Luciano Bivar enrolou-se completamente dizendo que é contrário à cota feminina. Isso não é desculpa para cometer ilegalidades.

Comentários

  • Mateus -

    quem tiver com dúvida, só pesquisar no google.com

  • Mateus -

    Fiquei chateado com essa história

  • Presidente-XVII -

    É isso que a política de cotas causa na política. CONFUSÃO. Agora, sobre o Jair Bolsonaro, só a ida dele ao partido causou a ida de muitas mulheres, como Joice, Janaína, Daiane Pimentel.

Ler 58 comentários