LAVA JATO ALERTA PARA LEI DE REPATRIAÇÃO

Além da manifestação de Deltan Dallagnol nas redes sociais, a força-tarefa da Lava Jato do MPF no Paraná soltou agora uma nota pública em que se diz preocupada “com propostas de alteração” da Lei de Repatriação.

Para o MPF, serão “criadas janelas de impunidade para crimes graves”, como falsidade, sonegação e evasão de divisas, assim como lavagem de dinheiro”.

“Para incentivar a regularização, a lei estabeleceu que crimes de falsidade, sonegação e evasão de divisas relacionados aos recursos, assim como a lavagem de dinheiro oriunda desses crimes específicos, não serão objeto de punição.”

A Lava Jato alerta que a lei “não exigiu qualquer prova da fonte lícita dos recursos”.

“Isso possibilita que valores mantidos na conta de um testa-de-ferro de um agente corrupto possam ser repatriados, sem indagação quanto à origem dos recursos. A título de aprimoramento, seria pertinente exigir alguma indicação concreta, passível de conferência, para a origem do dinheiro, bem como informar o Conselho de Controle das Atividades Financeiras (COAF) sobre todos os casos de repatriação, a fim de que o órgão possa identificar eventuais indicativos da prática de crimes mais graves.”

O Antagonista avisou desde o início que era a oficialização da lavanderia.

Faça o primeiro comentário