Lava Jato em SP denuncia ex-diretores da Dersa por lavagem de propinas do Rodoanel

Lava Jato em SP denuncia ex-diretores da Dersa por lavagem de propinas do Rodoanel
Crédito: ROBSON FERNANDJES/ESTADÃO CONTEÚDO/AE/Codigo imagem:114195

A Lava Jato em São Paulo apresentou hoje mais uma denúncia por lavagem de dinheiro de propinas pagas a executivos da Dersa durante gestões tucanas no estado. Foram denunciados, entre outros, Paulo Preto, ex-diretor da estatal, e José Rubens Goulart Pereira, da Galvão Engenharia.

Eles são acusados de lavar R$ 60,7 milhões de propinas pagas para favorecer a empreiteira em contratos com a Dersa assinados entre 2005 e 2009. A denúncia dá sequência às ações por lavagem de dinheiro já instauradas contra os integrantes do grupo que fraudou licitações do Rodoanel.

Na nova acusação, a Lava Jato focou na lavagem das propinas pagas pela Galvão Engenharia para fazer parte do cartel de construtoras que definiu a divisão e o superfaturamento das obras. De acordo com a denúncia, Paulo Preto e Mário Rodrigues Jr, também ex-diretor da Dersa, receberam o dinheiro no exterior por meio de empresas registradas em paraísos fiscais.

José Rubens Goulart Pereira foi o principal articulador dos pagamentos, de acordo com o MPF.

A denúncia se baseia em documentos enviados aos procuradores pelos bancos suíços em que os acusados mantinham contas. Os integrantes da Lava Jato pede que os denunciados sejam condenados a devolver o dinheiro desviado e a pagar multas.

Mais lidas
  1. Carluxo sem imunidade

  2. "Rodrigo Maia fica ligando para autoridades de Brasília para articular a derrubada do presidente Bolsonaro!"

  3. "Será que deveríamos ter deixado chegar a esse ponto?"

  4. "Covarde" e "traidor"

  5. O vírus evolui

Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 17 comentários
TOPO