Lava Jato: Fachin arquiva investigação envolvendo presidente do TCU

Edson Fachin determinou o arquivamento de investigação envolvendo o presidente do TCU, Raimundo Carreiro, no âmbito da Lava Jato, informa o Jota.

O ministro atendeu pedido da PGR, que não identificou elementos contra Carreiro em esquema de tráfico de influência delatado por Ricardo Pessoa, da UTC, envolvendo pagamento de propina com o propósito de influenciar o julgamento de processos referentes à Angra 3.

“O pronunciamento da titular da ação penal, diante do lastro empírico existente nos autos, é pela inexistência de justa causa à continuidade dos atos de persecução em desfavor do ministro Raimundo Carreiro. Nada obstante, ressalto que a determinação de arquivamento, atendida em razão da ausência de provas suficientes de prática delitiva, não impede a retomada das apurações caso futuramente surjam novas evidências”, escreveu Fachin, na decisão.

Bolsonaro 60,6% x 39,4% Haddad. O que podemos aprender com isso? CONFIRA

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 24 comentários
  1. A PGR atual mais soltou e arquivou processos do que processou algum político! É incrível como ela e o STF estão tentando acabar com a Lava-Jato! Toda semana arquivam processos de criminosos!

  2. A arquivadora-geral está esperando ser nomeada ministra do $TF ainda este ano com a ajuda de Temer e Beiçola. Para ter essa ajuda, ela está arquivando todos os inquéritos. É O VALE TUDO.

  3. PGR só identifica aquilo que depõe sobre Bolsonaro. O resto é cumprir o roteiro dos saqueadores do país. Sem medo de errar, afirmo: Totalmente aparelhado e jogando no tabuleiro dos traidores do po

  4. Raimundo Carreiro o notório falsificador de data de nascimento, falsificou seu nascimento pra receber aposentadoria do Senado quando era servidor e assim ficar mais dois anos no TCU. Que beleza!!!

  5. Quais ministros do STF precisam ser impichados pelo novo Senado? Acho que tirando Gilmar e Lewandowski o resto se lembrará aonde trabalha. O Toffoli com o general do lado já está canarinho.

  6. O corporativismo fala mais alto no Brasil, principalmente no funcionalismo público e na política, dificilmente alguém é processado ou investigado se não pego em flagrante, são protegidos, nós n

  7. Fachin parece viado.Será q ele se ofende ?Aí ele demonstraria preconceito. E se nós todos chamássemos de viado os tocagados…se ofenderiam ? Não poderiam se ofender porque seria preconceito .GAY