ACESSE

Lava Jato: Presos são ex-diretor da Petroquisa e filho

Telegram

Djalma Rodrigues de Souza, ex-diretor da Petroquisa, subsidiária da Petrobras, e um filho dele foram presos hoje na Operação Greenwich, 52ª fase da Lava Jato.

Djalma é acusado de corrupção e lavagem de dinheiro. Além do seu filho, outros familiares também são investigados. O ex-diretor já havia sido denunciado pela Lava Jato em outubro do ano passado.

O MPF diz que “documentos obtidos comprovaram que, para receber os R$ 17,7 milhões remetidos pelo Grupo Odebrecht de modo dissimulado, foi utilizada conta bancária na Suíça, titularizada por empresa offshore controlada por filho do ex-funcionário público”.

Mais um caso de rendimentos declarados que não condiziam com o salário.

Ao longo das investigações, detalha o MPF, também foram encontrados indícios de que Djalma interferiu, de maneira imprópria, em favor de empresas administradas por parentes, a fim de que fossem beneficiadas em contratos públicos.

Mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos em endereços de empresas ligadas à família de Djalma.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 13 comentários