Lava Jato: Rei Arthur subornou delegado do Rio

Em busca de enterrar crimes tributários, o empresário Arthur Menezes Soares, conhecido como Rei Arthur, deu R$ 2 milhões para que o advogado Danilo Botelho dos Santos e a empresária Renata Andriola de Almeida pudessem abrir uma franquia do restaurante L’Entrecôte de Paris, em Ipanema, diz O Globo.

“De acordo com a delação do sócio de Arthur, Ricardo Siqueira Rodrigues, à força-tarefa da Lava-Jato, o empresário procurou Danilo, que era próximo ao delegado Ângelo Ribeiro, para intermediar uma solução e assim liquidar sua dívida com a Fazenda.

O delator disse ainda que os R$ 2 milhões foram repassados por meio de uma empresa de Arthur, mas que não sabia se tinham sido diretamente a alguma empresa de Ângelo ou de seus familiares.”

Como registramos nesta semana, a nova fase da Lava Jato no Rio mirou Danilo e seu pai, Astério Pereira dos Santos, ex-secretário nacional de Justiça.

Eles foram presos na última quinta-feira, acusados de participar do esquema de corrupção de Sérgio Cabral.

 

Em 2015, o Ministério Público descobriu que pessoas ligadas ao delegado Ângelo apareciam como proprietárias de oito empresas; duas delas seriam restaurantes do L’Entrecôte de Paris, do qual Renata e Danilo são sócios.

Leia também: A suspeita de um plano de espionagem no Planalto?
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 11 comentários
TOPO