ACESSE

Justiça do Paraná torna ex-gerente do BB e doleiro réus por lavagem e corrupção

Telegram

A Justiça Federal no Paraná aceitou denúncia da Lava Jato contra o ex-gerente do Banco do Brasil José Aparecido Augusto Eiras e os doleiros Raul Henrique Srour e Carlos Arturo Mallorquin Junior. Eles agora são réus por corrupção, organização criminosa, lavagem de dinheiro e gestão fraudulenta.

De acordo com a denúncia, o esquema tocado por eles lavou R$ 9 milhões entre 2011 e 2014. A força-tarefa da Lava Jato chegou a eles a partir das investigações sobre o doleiro Carlos Habib Chater, dono do Posto da Torre, o marco zero da Lava Jato. A decisão é do juiz Luiz Antônio Bonat, da 13ª Vara Federal Criminal de Curitiba.

Segundo o MPF, Eiras ajudou os doleiros a abrir contas em nome de empresas de fachada para fazer movimentações financeiras oriundas de operações ilegais com dólar. O papel dele era assegurar que as operações não fossem detectadas pelo Coaf.

Veja a decisão AQUI

Eiras é acusado de ter recebido R$ 551,3 mil por seu papel no esquema. Ele também foi denunciado por ter ajudado a lavar dinheiro por meio da empresa CRG Serviços de Assessoria de Crédito e Cobrança, aberta no nome de familiares.

De acordo com as investigações, o ex-gerente do BB assinou termos de compromisso com empresas controladas pelos doleiros para repasse de dinheiro sem conferir origem e destino, em violação às regras internas do BB. O esquema foi descoberto por auditoria interna do banco.

Leia mais: Combo O ANTAGONISTA+ CRUSOÉ: assine e GANHE o ebook 'Guia Politicamente Incorreto da América Latina'

Comentários

  • Ademir -

    Cadê a prisão após Condenação em segunda instância STF sem vergonha. Cade o meu queijo?

  • GILMAR -

  • GILMAR -

    O PIOR É QUE COM AS BENESSES DO BOZO, PRESO AGORA POR CORRUPÇÃO, SÓ QUANDO ESTIVER CHEGANDO NO FIM DA VIDA,KKK

Ler 5 comentários