LAVANDERIA POPULAR

Além de lavar a propina da JHSF, o instituto Vox Populi também emitiu notas fiscais frias para repassar a Fernando Pimentel R$ 7 milhões das empresas de ônibus Gontijo e Águia Branca.

O dinheiro, que era guardado pelo operador Bené num flat em Brasília, serviu para bancar despesas variadas da campanha do petista, inclusive um escritório de advocacia.

Faça o primeiro comentário