Lewandowski alfineta Fachin

Disposto a levar o pedido de liberdade de Lula para o plenário, Ricardo Lewandowski provocou Edson Fachin, que, no habeas corpus anterior, decidiu levar o caso para a decisão de todos os ministros.

“O que pode eventualmente causar espécie é essa afetação e desafetação ora para o pleno, ora para a turma. Para o bem de uma uniformidade de procedimento, seria bom que decidíssemos julgar tudo lá ou tudo aqui”, disse Lewandowski.

Celso de Mello disse querer julgar o habeas corpus hoje mesmo, mas Lewandowski insistiu com outro argumento: o STF ainda julgará recurso contra a condenação de Lula no plenário, com base no mesmo argumento de parcialidade de Sergio Moro.

O inimigo número 1 de Sergio Moro. Leia AQUI

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 21 comentários
  1. Pelo que eu saiba a aventada “parcialidade” de Moro não vem ao caso porque Lula está preso por decisão unânime do TRF4. Se houve vicio no julgamento do Moro, este foi superado pelo segundo julga

  2. Eles são bandidos todos sabem, mas não são loucos de criar uma revolta popular, e uma tomada militar pela força de todos os poderes, se fizerem gracinha com a Constituição. Os militares deram re

  3. A paixão pelo Lula imbeciliza o Lewando. O STF não julga “TUDO”, como categoria, mas sim casa a caso. Imaginem, algo como: vamos julgar todos os homicídios cometidos hoje no Brasil.