Lewandowski derruba liminar de Fux após conversa com Toffoli

Sem levar a questão para o plenário do STF, Ricardo Lewandowski reafirmou a autorização para que a Folha entreviste o presidiário Lula, contra a liminar de seu colega Luiz Fux.

“Reafirmo a autoridade e vigência da decisão que proferi na presente reclamação para determinar que seja franqueado, incontinenti, ao reclamante e à respectiva equipe técnica, acompanhada dos equipamentos necessários à captação de áudio, vídeo e fotojornalismo, o acesso ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a fim de que possam entrevistá-lo, caso seja de seu interesse, sob pena de configuração de crime de desobediência, com o imediato acionamento do Ministério Público para as providências cabíveis, servindo a presente decisão como mandado”, escreveu o ministro do STF.

A decisão de Lewandowski ocorreu depois de um encontro reservado com Dias Toffoli na Faculdade de Direito da USP, onde os dois participaram de um evento sobre os 30 anos da Constituição.

Interlocutores disseram ao portal jurídico Jota que os dois tiveram uma reunião “tensa”.

Comentários

  • Alexandre -

    Então eu pergunto: pra que fechar o STF se ele pode ser todo de um partido? Uma frase idiota, chama-se a atenção e obriga a pedir desculpas. Não fecham, mas tomam o tribunal.

  • Francis -

    Triste ser cidadão de um país onde os criminosos tem mais poder que os cidadãos que trabalham,pagam seus impostos e são subjugados por bandidos de toga.

  • MARCO -

    O que esperar de um País que tem na sua mais alta Corte de Justiça um Ministro como este? Tenho vergonha de dizer que esse indivíduo foi professor na minha escola e de ter sido meu vizinho!

Ler 398 comentários