Lewandowski suspende investigações sobre Steinbruch

Lewandowski suspende investigações sobre Steinbruch
Foto: Governo do Estado de São Paulo

Ricardo Lewandowski suspendeu hoje duas investigações sobre o empresário Benjamin Steinbruch, presidente da Companhia Siderúrgica Nacional.

Ele é suspeito de pagar propinas a partidos políticos por intermédio de Marcelo Odebrecht: R$ 2,5 milhões para o PSB, na campanha em favor de Paulo Skaf ao governo de São Paulo, em 2010; e R$ 14 milhões para o PT, no mesmo ano, a pedido de Antonio Palocci.

O ex-ministro petista disse que doação ao PT tinha como contrapartida medidas provisórias de interesse de Steinbruch.

Em sua delação, Marcelo disse que recebia pedidos de empresários para fazer doações a políticos. No caso de Steinbruch, a Odebrecht seria recompensada com um contrato na CSN para a construção de uma fábrica de aço.

Lewandowski, no entanto, afirmou que, em depoimento, Marcelo Odebrecht não disse a forma como Steinbruch queria fazer as doações, se de forma oficial ou por meio de caixa 2.

Além disso, considerou “fragilíssima” a delação de Palocci e que ela foi rejeitada pelo Ministério Público Federal. Acrescentou que as investigações duram mais de quatro anos sem provas contra o empresário.

“De modo a resguardar o devido processo legal eleitoral, cujos fatos ora examinados foram amplamente debatidos na Pet 6.820-AgRED/DF, e tendo em conta que as referidas investigações perduram há mais de 4 (quatro) anos inconclusas, entendo necessário o implemento da medida liminar”, escreveu o ministro na decisão.

Leia mais: Enquanto Brasília faz tudo errado, a Crusoé continuará fazendo o certo: fiscalizando o poder.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO