Líder bolsonarista defende o nepotismo (sem o menor constrangimento)

Líder bolsonarista defende o nepotismo (sem o menor constrangimento)
Foto: Roberto Jayme/Ascom/TSE

O líder do governo, Ricardo Barros, defendeu o nepotismo.

Ele disse para o Estadão:

“O poder público poderia estar mais bem servido, eventualmente, com um parente qualificado do que com um não parente desqualificado. Só porque a pessoa é parente, então, é pior do que outro? O cara não pode ser onerado por ser parente. Se a pessoa está no cargo para o qual tem qualificação profissional, é formada e pode desempenhar bem, qual é o problema?”

Ricardo Barros é o mais perfeito representante de Jair Bolsonaro, um entusiasmado praticante do nepotismo, até mesmo do nepotismo fantasma.

O Brasil está num processo acelerado de apodrecimento, que envolve Executivo, Legislativo e Judiciário. Enquanto Jair Bolsonaro destrói a Petrobras para comprar votos em 2022, os outros poderes blindam-se legalizando crimes como a rachadinha, o nepotismo, o caixa 2 e o roubo de mensagens para inocentar quadrilheiros.

Leia mais: Assine a Crusoé, a publicação que fiscaliza TODOS os poderes da República.
Mais notícias
TOPO