Líder do Centrão recebeu 1 milhão de esquema de rachadinha, diz MPF

Líder do Centrão recebeu 1 milhão de esquema de rachadinha, diz MPF
Reprodução/Redes sociais

Líder do Centrão e candidato à Presidência da Câmara, o deputado Arthur Lira é acusado de embolsar pelo menos R$ 1 milhão em salários de assessores que integravam esquema de rachadinha na Assembleia Legislativa de Alagoas.

A informação é do Globo, segundo denúncia apresentada por Raquel Dodge em 2018.

Mais cedo, registramos detalhes da denúncia, publicada pelo Estadão, segundo a qual Lira teria usado como operadores o diretor financeiro da Assembleia Legislativa de Alagoas à época, Eduardo Albuquerque da Rocha, o motorista George Melo de Araújo Loureiro e o assessor Eudásio Gomeso.

Segundo a Polícia Federal, os três funcionários, citados  como “entrepostos financeiros” de Lira, transferiram R$ 1,066 milhão diretamente para o deputado. A ação penal tramita na primeira instância da Justiça de Alagoas, porque se refere ao mandato anterior do parlamentar.

Lira também é réu no Supremo em ação penal que responde por receber R$ 106 mil em propina da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU).

Em junho passado, ele chegou a ser denunciado pela PGR por suspeita de ter embolsado R$ 1,6 milhão de contratos da Petrobras. Mas três meses depois, a subprocuradora-geral Lindôra Araújo desistiu da denúncia por “fragilidade probatória”.

Leia mais: Confira um resumo das principais matérias da edição passada e entenda por que você não pode ficar de fora das próximas.
Mais lidas
  1. Huck 2026?

  2. Bolsonaro contradiz governador do AM e alega que governo não foi informado de falta de oxigênio

  3. Bolsonaro: leite condensado é para 'enfiar no rabo' da imprensa

  4. Estudante de direito é preso com 3 mil pés de maconha

  5. Emendas extras liberadas pelo governo beneficiam aliados de Bolsonaro

Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 78 comentários
TOPO