Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Lira não pretende desistir da PEC da Vingança; Centrão alerta para falta de votos

Na visão de alguns aliados do presidente da Câmara, é possível ainda se converter alguns votos deputados do PSL, PL e PP de Lira a favor da proposta
Lira não pretende desistir da PEC da Vingança; Centrão alerta para falta de votos
Foto: Alan Santos/PR

Líderes do Centrão admitiram na noite de hoje que ainda faltam votos suficientes para garantir a aprovação da PEC da Vingança no plenário da Câmara. Apesar disso, o presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL), indicou a aliados que não pretende desistir do projeto e que vai insistir na votação do texto, assim que tiver um “cenário mais favorável”.

Como mostramos, o substitutivo do deputado Paulo Guimarães (PSD-BA) da PEC da Vingança, que ameaça a autonomia e a independência do Ministério Público, aumentando a interferência política no Conselho Nacional do MP (CNMP), foi rejeitado por insuficiência de votos. O texto recebeu 297 votos a favor; eram necessários 308.

O Antagonista apurou que, na visão de integrantes do Centrão e de Lira, a campanha feita pelo Ministério Público e pela sociedade civil foi determinante para a derrota do presidente da Câmara. Apesar disso, alguns integrantes de partidos como o PP, PL, Pros, PSD e PSL acreditam que a falta de 11 votos pode ser revertida.

O raciocínio dos integrantes do Centrão é simples: não houve quórum completo de votação. Lira abriu a votação com 483 deputados, 29 a menos que o número total de parlamentares.

Além disso, na visão de aliados de Lira, é possível ainda converter alguns votos de deputados do PSL, do PL e do PP de Lira. Por outro lado, alguns deputados alertam que, diante da repercussão negativa do tema, pode acontecer justamente o contrário.

“O deputado que já foi criticado por ter votado contra o MP, não vai arriscar fazer isso de novo. É complicado”, disse um líder do Centrão a O Antagonista.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO