Livres para aterrorizar

A lei antiterrorismo aprovada na Câmara deixa de fora o extremismo político.

Os “movimentos sociais” continuam livres para aterrorizar a sociedade, como se terrorismo não fosse, porque dificilmente haverá juiz que tipifique as invasões e depredações cometidas pelo MST et caterva como atos terroristas.