Lula e a propina repartida ao meio

Um fato velho e um fato novo.

O fato velho:

Lula, onze dias antes das eleições de 2010, inaugurou uma refinaria da Petrobras, em São José dos Campos, e disse: “Essa empresa que muita gente tentou vender, essa empresa que muita gente tentou mudar o nome dela, essa empresa chega em 2010 transformando-se na segunda maior empresa de petróleo do mundo, motivo de orgulho”.

O fato novo:

Ontem, um dos delatores da Lava Jato, Júlio Camargo, em depoimento à Justiça, disse que teve de pagar R$ 15 milhões de propina para poder realizar as obras daquela mesma refinaria inaugurada por Lula, em São José dos Campos. A propina foi repartida entre Paulo Roberto Costa, arrecadador do PP, e Renato Duque, arrecadador do PT. Motivo de orgulho.

O fato velho foi muito comentado à época, porque Lula atropelou a lei e se aproveitou de um evento público para fazer um discurso eleitoral. O fato novo mostra que, durante aquele seu discurso, a lei estava sendo atropelada de maneira muito pior e mais infame do que se supunha.

Lula na inauguração da refinaria em São José dos Campos: metade para Renato Duque, metade para Paulo Roberto Costa

Faça o primeiro comentário