Lula e Dilma respeitam as regras do jogo

Ontem, um dos delatores da Lava Jato, Julio Camargo, representante da Toyo Setal, prestou depoimento em Curitiba. Ele afirmou que o pagamento de propina na Petrobras era “a regra do jogo” e que ele próprio depositou R$ 12 milhões nas contas “do doutor Renato Duque e do doutor Pedro Barusco” para vencer o contrato da refinaria de Araucária (REPAR).

Segundo o delator, os pedidos de propina partiam dos próprios diretores da Petrobras, e as empresas tinham de pagar porque só assim conseguiam fechar negócios com a estatal.

É importante lembrar o seguinte:

1) Em 2008, o TCU apontou “graves irregularidades” nos contratos da REPAR e recomendou o bloqueio dos repasses de verbas às empreiteiras envolvidas na obra.

2) Em 2010, o Congresso Nacional aprovou a recomendação do TCU para suspender o repasse de verbas, mas Lula usou seu direito de veto e retirou os empreendimentos da Petrobras da lista de obras bloqueadas.

3) Em 12 de março, acompanhado pela então ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, Lula foi a Araucária para inaugurar parte das novas instalações e defendeu o veto. “Se tem de fazer investigação, que se faça”, disse. “Mas não vamos deixar que trabalhadores fiquem desempregados porque alguém suspeita que alguma coisa está acontecendo.”

Lula e Dilma Rousseff sempre respeitaram as regras do jogo.

 
Dilma e Lula inauguram a REPAR e aplaudem as regras do jogo