A manobra de Lula para dar mais dinheiro do BNDES à Odebrecht

A Época reproduziu telegramas da embaixada brasileira em Cuba sobre o trabalho de Lula como lobista da Odebrecht.

O governo Dilma Rousseff classificou os telegramas como secretos, engavetando-os por 15 anos, mas teve de enviá-los ao Ministério Público Federal, que investiga o assunto.

Um telegrama, em particular, revela o papel de Lula.

Nele, o encarregado de negócios da embaixada do Brasil em Cuba, Marcelo Câmara, relata ponto por ponto o que foi acertado por Lula durante aquela sua viagem documentada no Youtube, entre 24 e 27 de fevereiro de 2014.

No ponto 12, Marcelo Câmara conta que foi convocado por Lula e os representantes da Odebrecht – Alexandrino Alencar, preso pela Lava Jato, estava lá – para tentar encontrar uma maneira de contornar os limites impostos por lei e liberar ainda mais dinheiro do BNDES para as obras da Odebrecht em Cuba, sem oferecer garantias reais.

Como garantir mais dinheiro do BNDES para a Odebrecht?


Faça o primeiro comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200