Lulinhazinho, precário e inconsistente

O advogado Cristiano Zanin vai protocolar amanhã no TRF uma medida judicial questionando a decisão da juíza Célia Regina Ody Bernardes de determinar a busca e apreensão no escritório onde funcionam as três empresas de Luiz Cláudio Lula da Silva.

Lulinhazinho diz que a decisão da juíza foi ilegal, com fundamento “precário e inconsistente”.

O que pode ser mais consistente que R$ 2,4 milhões depositados por um lobista na conta da empresa do filho do ex-presidente Lula?

Faça o primeiro comentário