Maduro é nosso

O Brasil tem responsabilidade direta sobre o golpe de Estado venezuelano.

Lula, em 2012, mandou João Santana reeleger Hugo Chávez, com propina da Odebrecht.

O esquema se repetiu no ano seguinte, com Nicolás Maduro.

Releia o que publicamos dois meses atrás:

Na sua proposta de delação premiada, João Santana afirmará que o PT exportou o seu modelo de financiamento ilegal de campanhas para El Salvador, República Dominicana, Angola e Venezuela. O Feira foi o marqueteiro de todas elas.

No caso da campanha de Nicolás Maduro, em 2013, “João Santana admitirá que recebeu pagamentos clandestinos de empreiteira envolvidas no petrolão, entre elas a Odebrecht e a Andrade Gutierrez. As duas construtoras tinham negócios na Venezuela e seu principal lobista era o ex-presidente Lula”.


Faça o primeiro comentário