"Mãe"

“Mãe”
Foto: Renzo Fedri/O Antagonista

Diogo Mainardi, na Crusoé:

“Minha mãe morreu. Ela estava lendo Tucídides na semana passada. Agora entrou para a história, como Péricles. É a heroína da nossa Guerra do Peloponeso familiar. Só escrevo por causa dela: dedico-lhe, portanto, uma página em branco. Ela vai fazer uma falta danada. Com uma dor insuportável – e com uma saudade mais insuportável ainda -, saio de fininho e vou chorar ali no canto. ‘Depois de cada um haver chorado devidamente os seus mortos, ide embora’. Sim, Péricles: vou embora agora, e volto na semana que vem – sem Tucídides e sem minha mãe.”

A página em branco está na Crusoé.

Leia mais: Crusoé expõe o que está na mesa de negociações pela sucessão na Câmara e no Senado, entre elas a liberação bilionária de emendas, oferta de ministérios, promessas de implosão da Lava Jato, entre outras
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO