Maia: Orçamento pode ficar para março se recesso de janeiro não for suspenso

Maia: Orçamento pode ficar para março se recesso de janeiro não for suspenso
Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

Rodrigo Maia afirmou nesta terça (27) que, se o recesso parlamentar de janeiro não for suspenso, a votação do Orçamento de 2021 pode ficar apenas para março.

O presidente da Câmara deu as declarações antes do início de uma sessão deliberativa convocada para votar os indicados ao CNJ, Mário Maia –o filho de Napoleão Nunes Maia, do STJ–, e ao CNMP, Otávio Luiz Rodrigues Jr.

Maia disse que, pelo calendário mais otimista, a PEC emergencial, que traz medidas de ajuste fiscal, seria votada na primeira quinzena de janeiro.

“Como essa matéria, do meu ponto de vista, precisa ser votada antes do Orçamento, é inevitável que você cancele o recesso no mês de janeiro. Pelo menos é a minha impressão”, declarou o deputado. “Só se o governo não quiser aprovar o Orçamento até o mês de março.”

O presidente da Câmara afirmou ainda que, com a suspensão do recesso e se quiser votar o Orçamento em janeiro, o governo vai precisar “trabalhar com muito otimismo” o calendário após o primeiro turno das eleições municipais, em 15 de novembro.

Leia mais: Deputados federais custam R$ 189 mil por mês aos pagadores de impostos; senadores, ainda mais
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 6 comentários
TOPO