Maia “quer ser presidente, mas não vai fazer campanha”

O Antagonista destaca, com base em matéria do Estadão, o que dizem parlamentares sobre a posição de Rodrigo Maia diante da denúncia contra Michel Temer.

Vicente Cândido (PT-SP), um dos principais interlocutores de Maia no PT:

“Ele quer ser presidente. Sabe que a chance de isso cair no colo dele é alta. Mas não vai fazer campanha. Não vai operar para derrubar. Vai estar assim, sempre presente, como está. Participa de velório, enterro, aniversário. Almoça e janta toda dia com deputados.”

Beto Mansur (PRB-SP), vice líder do governo:

“Tem lealdade ao Michel porque Michel o ajudou a estar onde está”.

Darcísio Perondi (PMDB-RS), outro vice-líder do governo:

“Há 100% de confiança.

Heráclito Fortes (PSB-PI):

“Ele não faz e não fará nenhum movimento”.

Alexandre Baldy (GO), líder do Podemos e um dos mais próximos de Maia na Casa:

“Falar que a denúncia passa é precipitado e falar que não passa é presunçoso.”

Paulinho da Força (SD-SP), diretamente a Maia nesta semana:

“Se tudo der errado agora, você vira presidente da República.”

O Estadão acrescenta:

“Se Temer não cair, Maia ficaria com a imagem de leal no momento em que nutre a ambição de se reeleger presidente da Câmara. Por isso, seus movimentos hoje consideram todas as possibilidades.”

E também:

“Quem convive com Maia avalia que ele não fará nenhum movimento brusco para detonar o governo, mas também não ‘morrerá abraçado’ com Temer.”