Maia resolve brecar a reforma da Previdência, diz aliado

O adiamento da votação da reforma da Previdência na comissão especial não se explica somente pelo imbróglio de estados e municípios.

Rodrigo Maia ainda está fulo da vida com as críticas feitas por Paulo Guedes ao relatório de Samuel Moreira e, com a concordância de alguns líderes partidários, decidiu colocar um freio na tramitação.

“Se o Guedes não gostou e falou tudo o que falou, por que continuar correndo para aprovar? Se não gostou de R$ 850 bilhões [de economia em 10 anos], então podemos entregar R$ 700 bilhões, R$ 600 bilhões”, comentou com O Antagonista um líder próximo do presidente da Câmara.

A ESTRATÉGIA PARA FAZER A "NOVA POLÍTICA" SE CURVAR À "VELHA POLÍTICA". Leia aqui

“Surgiu a dúvida se valeria a pena tanto desgaste para ficar sendo atacado por todo mundo. Já estávamos sendo atacados pela esquerda, pelos sindicatos, pelas corporações. Aí o Guedes falou o que falou e a gente começou a apanhar também dos bolsonaristas. Então, por que correr para aprovar?”, acrescentou.

As críticas de Guedes viraram a onda favorável à aprovação da reforma, no plenário da Câmara, antes do recesso.

Comentários

  • Daniel -

    as críticas de Guedes ou a falta de receber propina?

  • Rosangela -

    São canalhas, vivem de achacar o Executivo em nome de interesses próprios e mesquinhos. A população que se dane.

  • ROSALIA -

    Maia, se estás bravinho com as críticas recebidas, espera o dia 30. Vais ter que tomar um remédio para digerir tudo que vais ouvir sobre tua augusta pessoa! Estaremos lá!

Ler 33 comentários