Maior repasse da Odebrecht foi em ano sem eleições

A análise rápida da planilha de movimentação do setor de operações estruturadas, entregue por Hilberto Mascarenhas ao TSE e à PGR, complica a tese de caixa 2 eleitoral.

Em 2013, por exemplo, o departamento de propinas da Odebrecht distribuiu US$ 750 milhões. Foi o maior valor repassado pelo grupo a políticos entre 2006 e 2014.

Reparem nos demais anos não eleitorais: 2007 (US$ 80 milhões), 2009 (US$ 260 milhões), 2011 (U$ 520 milhões).

Faça o primeiro comentário