Mais um mensaleiro no Petrolão

Ideli Salvati, empenhada em renegociar a dívida de 90 milhões de reais de uma transportadora catarinense com a BR Distribuidora, contou com a ajuda do mensaleiro João Paulo Cunha.

De acordo com Nestor Cerveró, em depoimento publicado pelo Estadão, João Paulo Cunha fez “o mesmo pedido” de Ideli Salvati.

Condenado a 6 anos e 4 meses de prisão no processo do Mensalão, João Paulo Cunha tornou-se poeta, autor dos versos:

Na hora da porrada a cara era a minha / Fui seu irmão seu amigo e companheiro.

Faça o primeiro comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200