A malandragem das cotas no Itamaraty

Telegram

O MPF apresentou ação civil pública com pedido de liminar para que a Justiça determine ao Ministério das Relações Exteriores suspender imediatamente a nomeação e posse de seis candidatos não negros, aprovados em concurso do Instituto Rio Branco, informa O Globo.

Segundo o processo, eles foram inscritos indevidamente nas vagas reservadas a negros para admissão à carreira de diplomata.

“A nomeação e posse de candidatos não negros nas vagas reservadas, além de violar o princípio da igualdade material e descumprir os fundamentos da República Federativa do Brasil acarreta consequências perniciosas que merecem ser ressaltadas”, diz a ação.

Comentários

  • Erika -

    Esse PT foi uma desgraça para o país.

  • Eduardo -

    Mas eles só precisam se declarar negros para serem! Não era essa a lógica da esquerda?

  • Adolpho -

    A única consequência perniciosa ao Itamarati é a entrada em seus quadros de gente desqualificada, pouco importando a cor de sua pele.

Ler 88 comentários