Maletas antigrampo do Senado dividem ministros do Supremo

Telegram

Edson Fachin e Alexandre de Moraes divergiram hoje no Supremo sobre a possibilidade de a Procuradoria Geral da República investigar o conteúdo de maletas antigrampo do Senado apreendidas em 2016 na Operação Métis.

Fachin quer permitir a perícia dos equipamentos, usados por policiais legislativos para desmontar grampos telefônicos e escutas ambientais nos gabinetes dos senadores, numa tentativa de blindá-los da Lava Jato.

Moraes quer impedir de imediato a análise do material e invalidá-lo como prova, sob o argumento de que a apreensão das maletas foi ordenada pelo juiz Vallisney Souza Oliveira, de primeira instância e sem competência para investigar autoridades com foro privilegiado.

Comentários

  • DAISY -

    Alexandre de Moraes está reforçando ainda mais a péssima impressão deixada pelo apoio à Censura.

  • Enilze -

    Aí vale a lei, né? Nada que comprometa nossos "ilustres" legisladores pode vir à tona.

  • Rosa -

    Aí tem

Ler 13 comentários