A manobra de Crivella

Marcelo Crivella quer tentar colocar na política sua mulher, Sylvia Jane Crivella, e o filho, Marcelo Hodge Crivella.

Sylvia foi escolhida pelo PRB como primeira suplente do senador Eduardo Lopes, que disputará a reeleição.

A proposta, publica O Globo, é que Lopes seja deslocado para um cargo no Executivo carioca caso vença a disputa, “abrindo espaço para Sylvia, que ocuparia a cadeira” do Senado.

“A meta é retomar o gabinete, não deixar Crivella e a Universal de fora. Sylvia Jane reforça a chapa, é bem aceita”, disse um bispo da igreja.

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 22 comentários
  1. Os parentes que se candidatam e são eleitos pelo povo não podem ser comparados aos que são infiltrados como suplentes. Suplente não é escolhido através de voto!!!! É pura manobra, a ser eliminada.

  2. Família que mama unida, enriquece unida. Vamos lá crentalhada, vamos encher o rabo dessa rapaziada, para ela (a rapaziada) ter uma vida em abundância e nós (a crentalhada) continuarmos na favela.

  3. Em país de mesada e bolsa-cônjuge veem-se dinastias até entre próceres da picaretagem político-religiosa. Onde estão os cabras de sorte prestes a migrar para a Coreia Norte por uma dinastia + gorda?

  4. Enquanto funcionar o famoso e imbecil “jeitinho brasileiro”, continuaremos nesta “m” que nos encontramos, sem muita perspectiva de mudança. É muito triste para um país com o potencial do nosso.

  5. Nossos políticos – com sua ambição desenfreada por luxo e poder – nos impõem a política dos tempos das “capitanias hereditárias”. Só acabando com as regalias para os cargos públicos iremos avançar.