Manter Lula nas pesquisas é estratégia ou estelionato?

Leonardo Barreto, da Factual Informação e Análise, defende que é preciso fazer uma avaliação mais crítica sobre o trabalho dos institutos de pesquisa nas eleições deste ano.

“Sempre houve um debate a respeito das pesquisas de opinião nas estratégias dos políticos. [As pesquisas] sempre foram importantes para definir políticas de coligações e de financiamento por parte dos doadores de campanha. Mas, desta vez, as pesquisas estão sendo utilizadas de uma maneira nunca vista antes e desempenham um papel central na estratégia do PT.”

Para o cientista político, está evidente que “continuar testando cenários eleitorais incluindo o ex-presidente Lula, mesmo sendo muito improvável que ele concorra, é o jeito que o PT encontrou para se manter vivo no pleito”.

“Na teoria, as pesquisas deveriam buscar apurar o posicionamento das pessoas a respeito do cenário mais provável, ou seja, quanto mais realista é o questionário, mais credibilidade ele tem. Dessa forma, como o nome de Lula dificilmente estará nas urnas em outubro, os institutos parecem sacrificar um pouco esse rigor metodológico em função do ‘valor notícia’ que tem um resultado com o nome do petista.”

Barreto afirma que “os institutos continuam desempenhando um bom papel para o PT” e questiona se isso é “estratégia ou estelionato”.

“Existe uma estratégia que pode ser confundida como ‘confundir para vencer’. Tem até que se discutir se isso é estratégia ou estelionato.”

A presença de Lula nas pesquisas, reforça o especialista, é central para o PT.

“Sem uma alternativa que sequer se aproxime da densidade eleitoral do ex-presidente, é vital para o partido preservar a sua capacidade de transferência de voto. Segundo essa lógica, manter Lula como candidato virtual conserva o seu eleitorado fidelizado.”

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 49 comentários
  1. Um Pais que não aplica as poucas leis que tem, um condenado que não deveria se quer ser entrevistado ou ter visitas periodicas, um ladrão sendo feito pesquisas, a justiça tinha barrar esses institutos de por os nomes de qualquer condenado nas pesquisas, virou farra do boi, aqui tudo pode, uma baderna chamado Brasil.

  2. E o Fux está preocupado com Fake News nas Rede Sociais.
    As pesquisas do D F são Fake News explícitas.
    Pode TSE!
    Não vão botar ordem na bagunça.
    Já não lhes bastam as Fake Urnas Elétricas Eletrizantes, com vontade própria??
    Aliás: Sugiro a recontagem manual dos votos dos boletins de urnas do 2º turno das eleições presidenciais de 2014. Curiosamente o D F acertou o resultando final de 51,64% (D) X 48,36%(A).
    Suspeito não ? Existem fortes suspeitas de que a fraude ocorreu nas apurações!

  3. É ESTELIONATO, APOLOGIA DO CRIME E CRIME DE APOLOGIA A CRIMINOSO CONDENADO! MAS AS ESQUERDOPATAS – AQUILO QUE SÓ SERVE PARA INVENTAR MENTIRA E ENGANAR A TODOS – CONTINUA A QUERER NOS DOMINAR POR MENTIRAS E MAIS MENTIRAS… POR QUE EXISTEM IDIOTAS ASSIM???!!!!!!!!!!!

  4. É UM ESTELIONATO.
    PRESO TEM QUE CUMPRIR A PENA EM REGIME FECHADO OU TRABALHOS FORÇADOS E PAGAR POR TODAS AS DESPESAS.
    PRISÃO NÃO É HOTEL…………..É PRESÍDIO……

  5. Pesquisas devem ser autorizadas e registradas no TSE.
    Se o TSE autoriza e permite que o nome de Lula continue nas pesquisas, o estelionato conta com a participação do TSE.
    Se algum instituto de pesquisa quisesse colocar outro caricato, o TSE autorizaria?

  6. O Instituto Paraná provou mês passado que, com ou sem Lula, parcela significante do povo possui grilhões morais, intelectuais ou fisiológicos. E votarão nos seus feitores afins.

  7. Ele denunciou claramente o estelionato do pt nas eleições de 2018. A PGR FALHA em não processar os institutos de pesquisa. Mas sabe como é, ela acha que o voto com comprovante impresso para auditoria é mais perigoso para a democracia…

  8. …Dessa forma, como o nome de Lula dificilmente estará nas urnas em outubro, os institutos parecem sacrificar um pouco esse rigor metodológico em função do ‘valor notícia’ que tem um resultado com o nome do petista.” Qual o valor da notícia fundamentada numa fraude? O que existe é falta de honestidade na notícia atendendo interesses tendenciosos.

  9. o pt paga aos institutos de pesquisa pela inclusão de lula no pleito, embora sabendo que lula esta fora de combate, a fim de poder respirar, se manter vivo e não extinguir politicamente…

  10. Eu fico me perguntando, o que leva um escritor, como o Fernando Morais, a fazer “propaganda” durante uma inquirição como testemunha, perante o juiz Sérgio Moro…

  11. É uma ladroagem danada essas pesquisas. Pior, estão roubando o eleitor, que tem que se manifestar sobre esse ladrão preso, cumplice do datafolha, que não tem direito de se candidatar.

  12. É ESTELIONATO!
    Se o partido precisa de mais uma mentira para se manter vivo,
    acredito que seja um problema exclusivamente deles!
    Se não tivessem feito a lambança que fizeram no país e com
    os cofres públicos, hoje não precisariam estar se escondendo
    atrás de pesquisas mentirosas, com cenários e resultados
    fictícios e até criminosos, talvez.
    É uma descarada enganação ao povo!
    Aliás, não entendo como é possível que algo como isso
    esteja acontecendo, assim, na cara dura e diante dos olhos
    e da inércia das autoridades.
    Se é pra ser assim, coloquem logo um Chico Picadinho, um Macarrão,
    um Beira-Mar e outros, tão criminosos quanto, nas tais “pesquisas”.

  13. Disse tudo que o povo gostaria de saber. É bem simples assim. É uma vergonha esses institutos de pesquisa continuarem a colocar o Luladrao como candidato. Pior ainda é o TSE não se pronunciar. Este país está fora de prumo. Não se respeita mais nada. É só trambicagem. Como diz o velho ditado: “aos amigos, tudo e aos inimigos, a lei”.

  14. Mas hoje em dia até mesmo essa pretensa “densidade eleitoral” do presidiário é discutível: o apoio do presidiário AFUNDOU a Kátia Abreu no Tocantins!

    A moral da história é que credibilidade de institutos de pesquisa – de TODOS eles – simplesmente não existe, como já demonstraram à exaustão os resultados das urnas!